segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Mau demais para ser verdade... Mas é verdade!


Desde que o lobby dos arquitectos tomou conta da Câmara de Lisboa que a cidade está passar pelo que é, literalmente e sem exagero, a sua maior destruição desde o terramoto de 1755. Não trata apenas de destruir edifícios por vezes belíssimos e valiosos, mas de os substituir pelo lixo arquitectónico como este. Por exemplo, encontrar uma moradia no centro de Lisboa já é difícil, apesar de terem sido um edifício comum em algumas das avenidas. Na Avenida Fontes Pereira de Melo, desde o Verão que já só resta uma, a que serve de sede ao Metropolitano de Lisboa. As outras já só existem em fotografia em na memória dos lisboetas.
A cidade antiga numa zonas, moderna noutras, mas sempre elegante, está a ser destruída pela manada de arquitectos parolos e de patos bravos que já não têm mais onde destruir no Algarve.

3 comentários:

Gi disse...

Custa-me acreditar que seja um lobby de arquitectos; inclino-me mais para boys a precisar de jobs.

Uma tristeza, de qualquer maneira.

Joao Quaresma disse...

Eu acho que são as duas coisas. Estamos entregues aos bichos.

António Vidal Reis disse...

Já agora, falta de regras e critérios claros e atropelamento dos planos directores municipais, para além de se confundirem interesses públicos e privados. O desordenamento é tal que roça o caos. Para que servem mais estes "mamarachos" em pleno coração da cidade, do género centros comerciais. Decerto já pensou quantos existem na zona da grande Lisboa? Depois a Câmara tem falta de recursos, e os que ainda possui não utiliza devidamente, por exemplo para pavimentar ruas, ou restaurar monumentos, entre outros exemplos...